Apresentando o senhor ZÉGUA

Apresentando o senhor ZÉGUA

APRESENTANDO OS OUTROS ATORES DO DRAMA

APRESENTANDO OS OUTROS ATORES DO DRAMA

sábado, 16 de abril de 2016

E NÃO É QUE OS GATUNOS FURTARAM NOVAMENTE A ANTENA DA INTERNET DO BOLSA FAMÍLIA EM IGARAPÉ GRANDE?

*Clique sobre a imagem para ampliá-la.
- Bom dia, sujeitinho! Me dê uma razão lógica, clara, justa, irrefutável, incontestável, sem enrolação, extremamente convincente, para que você não desbloqueie o meu cartão hoje!
- Faça favor, minha senhora. Quero lhe mostrar uma coisa ali fora.
- Olhe para cima.
- É pra ver o que mesmo?
- A cor da antena da nossa internet.
- Tá me fazendo de besta, seu fi duma égua? Não tô vendo antena nenhuma.
- Pois é. Nem eu.
- Que conversa é essa?!!!
- FURTARAM A NOSSA ANTENA DE INTERNET NOVAMENTE!
Março de 2015. Depois de alguns dias sem acesso à Internet, nosso herói quase caiu da cadeira ao descobrir que A ANTENA DO SINAL DA INTERNET HAVIA SIDO FURTADA! Mais detalhes, leia aqui: 
ROUBARAM A ANTENA DA INTERNET DO ZÉGUA!
         Abril de 2016. Devido à forte temporada de chuvas e a queda de alguns raios, houve vários prejuízos nos eletrodomésticos de alguns igarapegrandenses. E isso afetou também o sinal da internet usada em nossa cidade. A internet foi interrompida em algumas residências e setores.
         Segunda feira, 11 de abril de 2016. Zégua está em seu local de trabalho. E sem internet. A hipótese imediata é que o sinal ainda está enfrentando problemas devido à queda dos tais raios mencionados anteriormente.
         Terça feira, 12 de abril de 2016. Novamente sem internet. Departamento do Bolsa Família sem internet não funciona. A gente atende às pessoas, conversa, dá informações (que muitas vezes até ajudam, sem a necessidade do sistema), mas, de maneira geral, as coisas não funcionam. Mas nosso herói ainda pensa que a culpa é dos raios.

         Terça feira, 12 de abril de 2016. Cerca de 10 e meia. A verdade finalmente é revelada. Chocante. Nosso herói e seus colegas estão perplexos. Não tem mais como fazer suspense disso, pois a situação já acontecera antes, um ano atrás. SEQUESTRARAM A NOSSA ANTENA DE INTERNET. E, COMO DA OUTRA VEZ, NÃO EXIGIRÃO RESGATE NENHUM.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

O GOVERNO TÁ CERTO QUANDO INFERNIZA A VIDA DOS OUTROS...

  *Clique sobre a imagem para ampliá-la.

ZÉGUA, O HOMEM QUE “APAGA” O NIS DAS PESSOAS...

- Zeguinha, que confusão é aquela?
- É um pessoal bem zangado, querendo saber por que o meu tio Zégua apagou o NIS deles?
- Apagou o NIS deles? E isso é possível?
- A verdade é que a maioria do povão brasileiro lê mal e interpreta pior ainda. E sobra para o meu tio.
- Como assim?
Bem, vejamos mais de perto o desenrolar da conversa entre alguns usuários irritados e o nosso herói.
- Bom dia, eu quero saber por que você apagou o meu NIS?
- ???????
- O moço da casa lotérica disse que eu não tirei o meu dinheiro este mês porque não tenho NIS.
- ???????
- Eu quero o meu NIS de volta, senão vou já denunciar você!!!
- Mas por que a senhora acha que não tem NIS?
- O moço da casa lotérica viu a mensagem no extrato do meu cartão. Tá aqui. Você quer negar?
“NIS INEXISTENTE OU SEM SALDO”.
- Tanto a senhora quanto ele estão errados.
1º - Se a senhora não tivesse NIS não teria cartão do Bolsa Família – e esse cartão aí de quem é?
2º - Se a senhora não tem NIS de quem é esse número no seu cartão?
3º - E veja aqui no seu extrato. Esse é o seu NIS.
- Mas a frase aí diz que eu não tenho NIS.
- Não, senhora. A frase mostra duas possibilidades: OU O NIS NÃO EXISTE OU A SUA CONTA NÃO TEM SALDO. Como está claro que o seu NIS existe, a verdade é que a conta da senhora NÃO TEM saldo.
- E por que não tem saldo?

- Aí já é outra história.

ERROS DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS QUE INFERNIZAM A VIDA DO NOSSO HEROI

- Bom dia, eu quero saber por que o meu NIS não existe.
- Que conversa é essa? Quem disse que a senhora não tem NIS?
- O moço da casa lotérica. Não consegui tirar o meu dinheiro e ele disse que eu não tenho NIS.
- Mas se a senhora tirou esse extrato é porque tem NIS. Olha ele aqui.
- Mas o moço da casa lotérica olhou neste papel e disse que aí ta dizendo que eu não tenho NIS, por isso o dinheiro não saiu.
Zégua respira fundo, pois sabe que terá que repetir a mesma história pela milésima vez.
- Olha aqui, senhora – ele aponta uma frase no extrato dela – aqui ta dizendo claramente:
“NIS INEXISTENTE OU SEM SALDO”.
Primeiro, seu NIS ta bem aqui do lado. Ta vendo esse numerozinho aqui?
Segundo, a frase ta mostrando duas possibilidades: OU O NIS NÃO EXISTE OU NÃO TEM SALDO. Como a gente sabe que o NIS existe e ta bem aqui, a verdade é que na sua conta NÃO TEM SALDO.

- ???????

domingo, 5 de julho de 2015

ZÉGUA E AS DUAS CARAS DO BOLSA FAMÍLIA - versão 2015

Existem muitas mentiras sobre o Bolsa Família. A ignorância sobre este programa federal pode ser grande entre a maior parte da população, mas é terrivelmente colossal entre a chamada elite social (políticos, funcionários públicos, professores, imprensa, etc.).
O pouco que essa “elite” conhece sobre o Bolsa Família é o que lê no site do governo (quando lê!) ou aquilo que passa na televisão. Mas geralmente o palco só mostra ficção (e algumas partículas da verdade para fantasiar um pouco as coisas). A verdade está é nos bastidores. E os bastidores do Bolsa Família ficam nos departamentos espalhados nas prefeituras desse Brasilzão.
Nosso herói Zégua conhece bem os bastidores porque sente na própria pele quase todos os dias, desde que o cordão umbilical do Bolsa Família foi cortado.
E, com base nas experiências pessoais de Zégua, juntamente com um pouco do seu conhecimento técnico sobre o assunto, elaborei um documentário que mostra, em resumo, a essência do Bolsa Família. Você terá uma visão geral sobre o tema (o suficiente para não passar vergonha) e conhecerá os dois lados (o palco e os bastidores, juntamente com os principais atores).
Depois que conhecer todo o documentário você poderá dizer (ou achar) o que quiser, mas garanto que é impossível contestar a verdade.
O documentário encontra-se em dois formatos: power point (slides) e pdf. Para acessá-lo, clique no link abaixo:
Por falta de conhecimento, o povo se destrói” (Oséias 4.6).
Por falta de conhecimento, o povo se lasca” (versão nordestina).
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

quarta-feira, 15 de abril de 2015

NO BOLSA FAMÍLIA, QUASE TODO DIA É 1º DE ABRIL – Parte 2

DETETIVE ZEGUINHA explica:

SETE SINAIS DE QUE A PESSOA PODE ESTAR MENTINDO (ou tentando esconder informações importantes), AO FAZER O CADASTRO DO BOLSA FAMÍLIA
Já expliquei várias vezes que a maior praga que assola o Bolsa Família é a mentira. Temos que lidar, diariamente, com pessoas sonegando informações, omitindo dados importantes, mentindo descaradamente, tudo para que possam ser beneficiadas pelo Bolsa Família.
Sabemos que existem muitos tipos de situações. Famílias claramente carentes do beneficio, porém são impedidas por alguma burocracia do sistema – aí muitas vezes elas são forçadas (pela necessidade) a mentir. E sabemos de outros casos (talvez a maioria) em que pessoas (que não se enquadram no perfil do Programa) omitem informações, mentem, usam todos os truques possíveis (da desonestidade) para tentar ludibriar o sistema e receber (indevidamente, até usurpando o lugar de quem realmente precisa).
Depois de muitos anos lidando com essa espécie de gente, nosso amigo Zégua aprendeu a detectar as mentiras e os mentirosos a vários quilômetros de distância (Claro! Vários quilômetros mesmo, pois até pelo celular dá pra sentir o fedor das lorotas).
Como o nosso amiguinho Zeguinha (sobrinho do Zégua) é muito mais esperto e observador, é ele quem vai dar as dicas seguintes (pois ele sempre acompanhou, de perto ou de longe, todas as aventuras do seu tio, desde que inventaram o Bolsa Família).
SETE SINAIS DE QUE A PESSOA PODE ESTAR MENTINDO (ou tentando esconder informações importantes), AO FAZER O CADASTRO DO BOLSA FAMÍLIA
1 – Quando questionada se possui alguma renda, aposentadoria, pensão ou tem algum emprego, ela demorar mais de 10 segundos para responder; ou responder de imediato, em menos de 2 segundos (pode indicar que foi previamente preparada ou instruída por outros);
2 – Ou ao responder, enfatizar várias vezes, negativamente: NÃO! NÃO! DE JEITO NENHUM! É CLARO QUE NÃO!
3 – Ou responder desviando o foco para outras pessoas, usando a palavra “MAS”: MAS EU CONHEÇO MUITA GENTE QUE...
4 – Desviar o olhar sempre que o entrevistador perguntar algo sobre sua renda familiar;
5 – Quando apresentar os documentos de todo mundo, menos os do marido ou companheiro (embora continue morando com ele);
6 – Quando questionada (por que não quer incluir o marido ou companheiro), responder com outra pergunta: É PRECISO MESMO?
7 – Quando, ao prestar informações, ficar inquieta, olhando, a todo instante, de um lado para o outro (especialmente para a porta), como se temesse ser reconhecida por alguém.
É claro que a simples presença de um ou dois desses sinais não significa que o indivíduo está mentindo ou escondendo alguma coisa. Mas o conjunto deles já é algo para se desconfiar.
As premissas do programa Bolsa Família até que são boas... a desgraça são as pessoas.

sexta-feira, 27 de março de 2015

TESTE DE MÚLTIPLA ESCOLHA – PARTE 2 – O QUE ACONTECEU COM A INTERNET DO ZÉGUA?

SEU ZÉGUA, POR ONDE VOCÊ ANDAVA, RAPAZ?
Faz um bom tempo que o nosso herói não dava as caras por aqui. Não que seus problemas tenham acabado. Talvez até aumentaram. Mas, para matar a saudade dos seus inúmeros fãs (um pessoal que gosta de sorrir com a desgraça dos outros), Zégua está de volta, com uma aventura quentinha, saiu do forno hoje, agora há pouco.
A internet é uma ferramenta essencial para o pleno funcionamento do Bolsa Família. Por mais lenta que seja, sem ela é impossível a realização de certas ações (cadastramento, desbloqueios de cartões, atualizações, etc.). Recentemente, em seu departamento, nosso amigo Zégua não conseguiu acessar a internet. Mas qual a novidade? Poderia ser um caso normal (ela desaparece de vez em quando. Talvez pra tomar um cafezinho, pra passar dois dias numa farra, para curtir a vida, qualquer coisa.). Mas a verdadeira razão do sumiço da internet desta semana merece uma pequena enquete. O que você acha? Por que o nosso herói não conseguiu acessar a internet no dia 25 de março de 2015?
a) Deu problema no servidor;
b) Queimou alguma peça importante no aparelho que transmite o sinal (tá chovendo muito por aqui esses dias);
c) A Prefeitura deixou de pagar os serviços;
d) Houve uma violenta tempestade na região, um raio caiu e atingiu a antena que transmitia o sinal da net;
e) Usuários revoltados, porque seus cartões foram bloqueados, derrubaram a antena;
f) Um mágico passou pela cidade e fez a antena desaparecer;
g) Uma senhora (que tem duas aposentadorias e é dona de um comércio) ficou extremamente irritada porque seu beneficio foi cancelado (justa causa), aí deu um chute no computador do Zégua.
E aí? Bem, a resposta não está em nenhuma dessas alternativas, apesar de parecer com uma delas. Qual? Vejamos como tudo aconteceu.
25 de março de 2015. Uma manhã chuvosa. Chuva mansa, sem trovões ou raios. O prédio, onde no passado já funcionou a Secretaria de Assistência Social (e, logicamente, o Departamento do Bolsa Família), passou por uma breve reforma durante uma semana. Ele esteve ocupado nos últimos dois anos com a Secretaria da Mulher. Agora, o pessoal da Secretaria da Mulher fez uma permuta com o pessoal da Assistência Social.
Em resumo, nesta semana, com o retorno do pessoal da Assistência Social, tivemos que mudar alguns móveis de lugar, fazer novas instalações para os computadores, etc. Então, o técnico responsável pela área da Internet começou o seu serviço. Ligou uma tomada aqui, outra ali. Conectou os cabos nos lugares certos. Aí tentou acessar a internet. Nada. Tentou novamente. Nadinha.
Trocou os cabos. Nada. Onde está o problema?
Trocou a tal de Switch (a maquininha que conecta os computadores com a internet) por uma novinha, virgem. Nada.
Então, nosso herói Zégua sugeriu ao técnico que talvez a internet estivesse fora do ar mesmo, pois era um dia chuvoso, etc. Mas o técnico achava que não, pois há poucas horas havia acessado a net normalmente, em um outro local.
Aí continuou quebrando a cabeça.
Começamos a suspeitar que o computador do nosso herói fosse o responsável. Ou o irresponsável, no caso. Mas como provar?
Cerca de meia hora depois (após tentar toda espécie de estratégia), nosso técnico teve uma ideia. Como esse período de chuva traz muito vento, às vezes, quem sabe, a antena que capta o sinal da internet, pode ter entortado um pouco, saído do lugar, etc. Pois é! Como não pensamos nisso antes? Aí ele saiu lá fora, para recolocar a antena no lugar.
 (CORTA-SE A CENA AQUI E VAMOS PARA OUTRO QUADRO, MEIA HORA MAIS TARDE).
- Bom dia! Eu gostaria de saber se aquele problema no meu cartão foi resolvido.
- Bom dia, senhora! Seja bem vinda. Sente-se, fique à vontade. Então a senhora quer saber se temos novidades sobre o seu caso?
A senhora sentou-se e Zégua, com a cara mais limpa do mundo, disse:
- No momento não posso acessar o sistema pra saber como está o seu caso. A senhora faz alguma ideia por que eu não posso acessar a internet agora?
- Ah, a internet está fora do ar?
- Alternativa “a” está errada – Zégua respondeu, sorrindo - Não, senhora. A internet está normal.
- O computador está com problemas?
- Alternativa “b” está errada. Não. O nosso computador ainda está dando pros gastos.
- Ah, sei lá. A Prefeitura não pagou as contas e cortaram a internet de vocês?
- Não. Até onde sei, não chegaram a esse ponto ainda.
- Ah, desisto. Não sei.
Então, o nosso herói convidou a senhora para irem até lá fora. Levou-a fora do prédio, apontou para cima e perguntou:
- A senhora está vendo nossa antena aí?
- Vixe! Cadê ela?
- Simplesmente parece que foi roubada.
- Oxente! Que história é essa?
(VOLTA-SE PARA A CENA ORIGINAL, MEIA HORA ANTES).
- Zégua, vem aqui fora ver uma coisa! – Gritou o técnico.
- Qual a novidade? – Perguntou Zégua.
O técnico apontou para o local vazio.
- Cortaram o cabo e roubaram a antena.
E agora, seu Zégua?
*******
Mais tarde o nosso herói foi até a Delegacia mais próxima registrar o Boletim de Ocorrências.

* Em 2009 houve um caso parecido. Clique no link abaixo para relembrar. Se você já o leu, bem... vale a pena sorrir de novo (da desgraça alheia).


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

SEIS VERDADES IMORAIS SOBRE O BOLSA FAMÍLIA

Obs.: O texto seguinte foi escrito em 2013, logo após o escandaloso boato do “fim do Bolsa Família” (final de maio de 2013). Escrevi o texto especialmente para o blog de um amigo (sobre o Bolsa Família). Como o blog dele não existe mais e como o assunto é bem atual resolvi publicar no Blog do Zégua para o conhecimento dos leitores mais recentes.
Verdades que vieram à tona nos recentes acontecimentos envolvendo o Programa Bolsa Família.
1 – O BOLSA FAMÍLIA É SAGRADO, INTOCÁVEL, E AI DE QUEM FOR CONTRA ELE
Muitas pessoas, inclusive eu, sempre suspeitaram disso. O Programa Bolsa Família (PBF para os íntimos) veio para ficar... para sempre! A idéia inicial até que era boa, mas sem um projeto para os beneficiários (tipo uma capacitação profissional, uma porta para a inserção num emprego digno, etc.), o PBF tornou-se apenas um mero sustento para os menos favorecidos e, o que é pior, uma fórmula perfeita para a compra de votos.
O beneficio deveria vir com um prazo de validade. Ou seja, a pessoa iria receber o beneficio por um certo tempo até ser inserida num serviço onde pudesse se manter por conta própria, pelos seus próprios esforços. Mas quem se mantém pelo próprio suor pode ficar independente. E se ficar independente pode até raciocinar e refletir antes de escolher seu candidato nas próximas eleições. E se aprender a refletir, corre o risco de votar em quem quiser. E isso certos políticos corruptos não querem jamais.
Então se o PBF fica como está, a pessoa torna-se dependente dele como um viciado depende de uma droga, e isso de tal forma, que o maior medo dessas pessoas é votar em alguém que seja contra o tal programa. Aí chegamos a um grave problema:
2 – É FÁCIL FAZER UM CANDIDATO PERDER UMA ELEIÇÃO – É SÓ ELE SER DOIDO SUFICIENTE PARA DECLARAR QUE É CONTRA O BOLSA FAMÍLIA
Se o PBF é sagrado e intocável, a dedução é simples: ganha a eleição quem for a favor dele e perde de goleada quem for contra. Isso ficou mais do que claro nos acontecimentos desse final de semana (18 e 19 de maio de 2014). Mas como a maioria dos candidatos são “raposas velhas”, é claro que nenhum deles é idiota para declarar que é contra o PBF. Porém, o que ficou evidenciado recentemente é pior do que se imagina. O candidato pode até declarar que é a FAVOR do PBF, pode até prometer ampliar e melhorar o tal programa, mas o inimigo tem uma arma secreta infalível...
3 – UM SIMPLES BOATO BEM ELABORADO DURANTE UMA CAMPANHA ELEITORAL TEM POTENCIAL SUFICIENTE PARA DETONAR A ELEIÇÃO DE QUALQUER UM
Um político pode até jurar, sobre uma montanha de Bíblias, que é a favor do Bolsa Família, mas bastará um simples boato bem articulado (tipo: que o tal candidato, se eleito, vai acabar com o Bolsa Família), e sua candidatura será detonada da pior forma possível. Isso foi provado recentemente. O povão ignorante, analfabeto, escravo do sistema, não tem capacidade (e liberdade) para raciocinar, fazer juízos, distinguir o certo do errado, discernir a verdade da mentira, e por isso, acredita, sem pestanejar, naquilo que mexer com seus interesses (e especialmente com os seus bolsos).
Nas eleições passadas essa tática foi usada e abusada pelos políticos. Uma notícia se espalhou a respeito de um certo candidato, dizendo que ele era contra o Bolsa Família. Não adiantou ele tentar argumentar, a arapuca foi bem feita.
4 – O DEMÔNIO INVOCADO NÃO PODERÁ MAIS SER MANDADO DE VOLTA AO INFERNO
O famoso poeta alemão Goethe, em seu poema “Aprendiz de feiticeiro”, diz uma frase perturbadora: “Não consigo me livrar dos espíritos que invoquei”. A situação expressa o seguinte: um feiticeiro invoca um espírito do abismo e depois tem a maior dor de cabeça ao tentar se livrar do tal demônio.
Você pode até achar a comparação estranha, mas o sentido é o mesmo. O PBF é como um monstro que o governo criou e agora não consegue mais se livrar dele, mesmo que queira. Se o governo pretendia que o PBF fosse uma ajuda temporária, as pessoas se “viciaram” nessa “ajuda” e agora não conseguem mais viver sem ela. Mesmo que haja relatos de pessoas que melhoraram de vida e resolveram sair do programa para ceder o lugar aos menos favorecidos, a verdade é que a grande maioria não quer largar o osso de jeito nenhum. Somos testemunhas diariamente (nós, técnicos, coordenadores e entrevistadores que trabalham com o programa) de casos em que as pessoas, mesmo com uma renda razoável, até brigam para não sair do programa.
5 – PARA MUITOS BRASILEIROS, O BOLSA FAMÍLIA É UMA NOVA FORMA DE DIVIDIR MORALMENTE A HUMANIDADE
Nas eleições municipais passadas vimos muito disso. As pessoas dividiam-se em dois grupos: O grupo da situação era o GRUPO DO BEM, e o da oposição, o GRUPO DO MAL. Qualquer acontecimento negativo envolvendo alguém da oposição era proclamado aos quatro ventos com satisfação: “Tão vendo o que eles fazem? Do lado deles só tem esse tipo de gente, gente do mal.” Muitos políticos, ao subir nos palanques, exclamavam: “Deus está do nosso lado”. Ou seja: Deus está com a gente e o diabo está com eles (os opositores). De vez em quando ouvimos isso na televisão, na política nacional. É claro que os políticos de Brasília costumam usar metáforas ou palavras mais inteligentes (ou obscuras), mas o sentido é o mesmo. A situação é o partido da verdade, e a oposição é o partido da mentira. Atualmente no Brasil se você quer fazer inimigos é só dizer que é contra o casamento gay ou contra o Bolsa Família.
6 – QUALQUER QUE SEJA O PROBLEMA COM O BOLSA FAMÍLIA A CULPA É SEMPRE DOS OUTROS
Quem trabalha com o Programa sabe: Sempre que o beneficio de alguém é bloqueado ou cancelado, o serviço 0800 tem a resposta na ponta da língua: “O PROBLEMA É NO DEPARTAMENTO DO BOLSA FAMÍLIA DO SEU MUNICIPIO”. Alguns até ousam declarar: “MINHA SENHORA, AQUI NO NOSSO SISTEMA, NÃO TEM NADA ERRADO COM O SEU BENEFICIO. ALGUMA COISA TÁ ERRADA É NA PREFEITURA DO SEU MUNICIPIO”. Nesses últimos anos, aliás, desde o inicio do Programa, sempre que ocorreram problemas oriundos do próprio sistema, a CAIXA raramente se manifestou publicamente. Eu disse “raramente”, mas não lembro de nenhum caso em que se manifestaram. Quando não joga a culpa nos operadores municipais, o pessoal da CAIXA geralmente se cala, se esconde, se omite, mas não assume publicamente o erro.
Agora não foi diferente. E tiveram até ajuda extra. Uma ministra do atual governo se apressou em culpar a oposição. Pra quem não conhece, veja o que ela declarou no twitter: “Boatos sobre fim do bolsa família deve ser da central de notícias da oposição. Revela posição ou desejo de quem nunca valorizou a política.” A Polícia Federal foi acionada para descobrir o “criminoso” e “desumano” (palavras da presidenta) autor do terrível boato. Os operadores municipais do programa que coloquem suas barbas de molho.
BOLSA FAMILIA, O ESTOPIM DO ARMAGEDOM BRASILEIRO
Armagedom é uma palavra bíblica bastante conhecida nos círculos militares, pois é o nome do local geográfico, onde, segundo a Bíblia (precisamente Apocalipse, capítulo 16), acontecerá uma guerra mundial, pouco antes da Segunda Vinda de Cristo. Bem, o termo “Armagedom” virou sinônimo de catástrofes, fim do mundo ou coisa parecida. Por isso, a comparação com o PBF. É só imaginar a cena. Se um simples boato provocou tanta histeria (e violência, pois há vários relatos de caixas eletrônicos violados), pense no que poderia acontecer se o governo decretasse, de verdade, o fim do Bolsa Família.
Pensemos em algo ainda pior. Se o programa acabasse de repente e o governo culpasse o pessoal que trabalha nos municípios. Meus amigos, é assustador pensar nisso. Só quem trabalha com o programa (nos municípios) sabe: estar diante de alguém cujo cartão foi cancelado é como estar diante de uma fera ferida. Especialmente depois que esse alguém ligou para o 0800 e recebeu a “revelação” de que toda a culpa é dos caras que trabalham nas prefeituras.
Alguma coisa tem que ser mudada. E urgentemente. Do contrário, as próximas notícias sobre o Bolsa Família vão aparecer somente nas páginas policiais. Ou nos avisos fúnebres.
Por falta de conhecimento, o povo se lasca.” (Oséias 4.6, versão na linguagem nordestina)

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

ZÉGUA E AS DUAS CARAS DO BOLSA FAMÍLIA – DOCUMENTÁRIO

Existem muitas mentiras sobre o Bolsa Família. A ignorância sobre este programa federal pode ser grande entre a maior parte da população, mas é terrivelmente colossal entre a chamada elite social (políticos, funcionários públicos, professores, imprensa, etc.).
O pouco que essa “elite” conhece sobre o Bolsa Família é o que lê no site do governo (quando lê!) ou aquilo que passa na televisão. Mas geralmente o palco só mostra ficção (e algumas partículas da verdade para fantasiar um pouco as coisas). A verdade está é nos bastidores. E os bastidores do Bolsa Família ficam nos departamentos espalhados nas prefeituras desse Brasilzão.
Nosso herói Zégua conhece bem os bastidores porque sente na própria pele quase todos os dias, desde que o cordão umbilical do Bolsa Família foi cortado.
E, com base nas experiências pessoais de Zégua, juntamente com um pouco do seu conhecimento técnico sobre o assunto, elaborei um documentário que mostra, em resumo, a essência do Bolsa Família. Você terá uma visão geral sobre o tema (o suficiente para não passar vergonha) e conhecerá os dois lados (o palco e os bastidores, juntamente com os principais atores).
Depois que conhecer todo o documentário você poderá dizer (ou achar) o que quiser, mas garanto que é impossível contestar a verdade.
O documentário encontra-se em dois formatos: power point (slides) e pdf. Para acessá-lo, clique no link abaixo:
Por falta de conhecimento, o povo se destrói” (Oséias 4.6).
Por falta de conhecimento, o povo se lasca” (versão nordestina).
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

ZÉGUA E O BOLSA ESTIAGEM – O INIMIGO AGORA É (MAIS) OUTRO

 Nas primeiras semanas de 2014 nosso herói tem sido desafiado por um novo inimigo, um tal de BOLSA ESTIAGEM. De repente, 80 reais a mais começaram a aparecer nas contas dos beneficiários do Bolsa Família e a noticia correu mundo afora:

- O BOLSA FAMÍLIA AUMENTOU! O BOLSA FAMÍLIA AUMENTOU!

Imediatamente o Departamento do nosso herói começou a ser invadido por vários indivíduos que queriam saber a mesma coisa:

- POR QUE O MEU DINHEIRO TAMBÉM NÃO AUMENTOU?

Zégua olhou na Folha de Pagamento e não detectou nenhum aumento, principalmente no valor de 80 reais.

- MAS MINHA PRIMA RECEBEU 80 REAIS A MAIS EM SEU CARTÃO! MINHA CUNHADA TAMBÉM RECEBEU! E A IRMÃ DA PRIMA DO TIO DO MEU PAI! E A SOBRINHA DA MADASTRA DO IRMÃO DO MEU SOGRO TAMBÉM RECEBEU!

E agora, seu Zégua?

Algum tempo depois e o nosso herói descobre que, na verdade, os tais 80 reais fazem parte de um tal de BOLSA ESTIAGEM (o nome correto do tróço é PROGRAMA AUXILIAR EMERGENCIAL FINANCEIRO).

Descobre também que, no ano passado, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de sua cidade (juntamente com alguns setores da Prefeitura) fez o cadastramento de várias famílias que haviam sido prejudicadas com a estiagem recentemente.

Mas o que é que isso tinha a ver com o nosso herói?

Dezenas de pessoas chegaram até o nosso destemido, querendo saber por que não receberam o tal BOLSA ESTIAGEM – e já haviam passado pelo Sindicato e até pela Caixa. O fato é que, qualquer que seja o problema, só existe um bode expiatório: PROCUREM O ZÉGUA, QUE ELE RESOLVE!

Algum tempo depois, nosso herói resolveu ir até o Sindicato dos Trabalhadores pra tirar essa história a limpo. E a coisa é mais enrolada do que parece, pois:

- Tem gente que fez o cadastro e seu nome não veio na lista do pagamento.

- Tem gente que não fez o cadastro e o dinheiro veio.

- O pai e a mãe se cadastraram, mas o dinheiro veio no nome de um dos filhos.

- Tem família que o dinheiro não veio pra ninguém e em outras o dinheiro veio para mais de um membro.

- Uma senhora recebeu a primeira parcela da Bolsa Estiagem (dizem que serão seis parcelas, de 80 reais, cada) por meio do cartão BOLSA ESCOLA (aquele azulzinho do tempo do Fernando Henrique, antes de surgir o Bolsa Família);

- O cartãozinho dela tem mais de dez anos, está cancelado há séculos, e, de repente, volta a funcionar.

- Mas só funcionou um mês e agora ela procurou o nosso herói pra que ele dê um jeito.

- Ao pegar o cartãozinho, Zégua tomou um susto: “A SENHORA TEM CERTEZA DE QUE RECEBEU DINHEIRO COM ISTO AQUI?”

- Um moço foi até a Caixa, seu nome tá na lista e tá na folha de pagamento, mas o funcionário mandou que ele procurasse o nosso herói, porque seu dinheiro precisava ser DESBLOQUEADO. Como assim?

- O nome de uma senhora apareceu na lista do Bolsa Estiagem – mas ela faleceu há um ano.

Pois é! O negócio tá feio para o lado do nosso herói. 

DETETIVE ZEGUINHA DESMASCARA: OS ARGUMENTOS MAIS FAJUTOS USADOS PELOS POLÍTICOS - PARTE 2




AS SETE FRASES QUE ZÉGUA NÃO AGUENTA MAIS OUVIR

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada.